|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

FOLCLOREANDO

Filme Utilizado O Lobisomem e o Coronel | Animação | De Elvis K. Figueiredo, Ítalo Cajueiro | 2002 | 10 min | DF



Data da Experiência:20/08/2010

Disciplina(s): Língua Portuguesa , Literatura

Temas transversais: Comunicação

Nível de ensino da turma*: Ensino Médio

Faixa etária da turma*: de 14 a 18 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:90

Autor do relato:helena maria martins

Instituição:EE SIDRÔNIO ANTUNES DE ANDRADE
| MS | SIDROLANDIA
| Estadual
Objetivos do uso do filme
Careço transformar meus alunos em cronistas.Atalho certo é leitura, imagem, música. Parece fácil, trem bom de ler a tal da crônica. Um sapato vermelho na vitrine, um corpo suado na lida, um erro gramatical, minhas distrações, as flores do meu jardim ou as plantas do meu quintal. Tudo é tema. Tudo tão cotidiano, tão cronístico, tão coisas de Helena. Nada é tema. Todavia, lembre-se: já não existe trema, a imaginação nunca é pequena e os sonhos são de contínuo maiores e não queremos fazer sempre igual!

Sequência de atividades envolvendo o filme
Nossavirgesenhoraducéu! Tanta surpresa boa no demorado da leitura, na busca das entrelinhas, na adivinhação de possíveis sabores para significados já encilhados, dando trote solto a outras antes de parecença impensadas. A gosto! Ah, gosto! Agosto, mês do cachorro louco. Eia, Mula-sem-cabeça! Curupira. O cego e a viola vão deixando sons nas noites de lua cheia, guiados pela cadela... O Lobisomem e o coronel: uuuhhhhhhhhh...Passos perdidos nos cordéis da vida imaginada, lendas no rodeado das fogueiras do faz-de-conta encantado. Imagens, ação! Pipoca pra todo lado.

Comente os resultados da experiência
Relembranças, divaganças! Eles e eu, na sala de aula, folcloreando juntos, no alegre da imagem pelo portacurtas enviada. Tanta surpresa boa na palavra que se escolhe pro papel Difícil escolher. Tem uma do beijo: encontrei uma visagem do primeiro meu, ai! Ah... Há o das cicatrizes na alma, alma marcada na manhã da vida.Tão triste, real, verdadeiro! Opção pelo riso: um mico, patético, ridículo, mas vivo.Uma tia provando roupa - o defunto era menor - alargou os beiços, expôs os dentes, despudorando a vida num ato. Nada a ver com o curta? Cequipensa! As crianças soltaram o verbo, uma cumplicidade com as palavras... A ingenuidade do cordel animado aproximando palavras, professora, alunos. PS: A crônica da minha aluna foi escolhida para representar a nossa escola nas Olimpíadas de Língua Portuguesa. =D