|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Procurando um amigo diferente

Filme Utilizado Velha História | Animação | De Cláudia Jouvin | 2004 | 6 min | RJ



Data da Experiência:10/07/2001

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental I

Faixa etária da turma*: de 7 a 10 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:19

Autor do relato:kelenCalgaroto

Instituição:EMEF ERVINO ARTHUR RITTER
| RS | ESTANCIA VELHA
| Municipal
Objetivos do uso do filme
Reconhecer as diferenças nossas e dos outros, valorizando e percebendo que cada sujeito é único, com suas limitações, necessidades e desejos próprios; desenvolver a criatividade, expressando seus sentimentos;
construir uma boa produção textual; praticar outros meios de comunicação.

Sequência de atividades envolvendo o filme
Logo que o filme terminou, percebi que os alunos estavam muito "tristes", e sairam dizendo que não tinham gostado do final do filme: -Não acho justo o peixinho morrer; -O homem não perguntou a opinião do peixinho; -Claro o peixinho era diferente e queria viver na terra. Então os alunos criaram um final diferente para o filme. Fizemos votação para escolher o melhor final. Após esta escolha, resolvemos representar o filme através de duas peças teatrais, uma com o final do filme e outro com o final que eles modificaram. Também fizemos dinâmicas sobre amizade, foi quando surgiu a idéia de cada aluno ter um amigo diferente. Falamos muito sobre as diferenças. Combinamos que vamos conhecer a APAE do município(instituição que atende pessoas com necessidades especiais) mas antes vamos trocar correspondências. Trabalhamos ferramentas de comunicação: como se comunicar com as pessoas, a produção textual, a ortografia... Por fim, trabalhamos com o gênero carta por meio da escrita para os alunos da Apae, sem ainda conhecer os alunos. Estão todos ansiosos para se conhecerem!

Comente os resultados da experiência
Os alunos estão muito envolvidos com esta proposta. Falam que mesmo sem conhecer o "novo amigo", já se sentem apegados a eles, já mandaram, balas, chocolates e cartões.Percebo que eles mudaram suas atitudes uns com os outros, respeitando o jeito de cada um. O trabalho ainda não terminou, pois a cada dia que passsa os alunos lançam questionamentos sobre a vida das pessoas com necesssidades especiais.