|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Em que professor(a) a sua história de vida lhe (trans)formou?

Filme Utilizado Brevíssima História das Gentes de Santos | Documentário, Ficção | De André Klotzel | 1996 | 14 min | SP



Data da Experiência:29/08/2008

Disciplina(s): Artes , Geografia , História , Literatura

Temas transversais: Diversidade , Pedagogia

Nível de ensino da turma*: Superior

Faixa etária da turma*: acima de 18 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:25

Autor do relato:Marcea Sales
Objetivos do uso do filme
Debater a importância da memória na/para formação do professor das primeiras séries do Ensino Fundamental.Problematizar a formação docente - pessoal e profissional - para a contrução do Memorial-Formação.Criar estratégias para a escrita apoiada do Memorial-Formação de professores do Ensino Fundamental.Produzir escritas memorialisticas sobre o processo formativo dos professores das primeiras séries do Ensino Fundamental.

Sequência de atividades envolvendo o filme
Leitura e discussão de textos sobre Memória e Formação Docente. Construção da linha do tempo: histórias pessoais e profissionais do professor das primeiras séries do Ensino Fundamental. Leitura fílmica do curta Brevíssima História das Gentes de Santos (André Klotzel, 1996). Produção de textos memorialisticos sobre as histórias de vida dos professores das primeiras séries do Ensino Fundamental

Comente os resultados da experiência
Essa proposta foi desenvolvida em uma Licenciatura em Pedagogia no sertão baiano - parceria entre a FACED/UFBA e Prefeitura Municipal de Irecê para qualificar professores. Como atividade de Registro e Produção temos o Memorial-Formação, e nele adoto a pesquisa (auto)biográfica para debater o processo da formação destes professores. Em que professor/a a sua história de vida lhe (trans)formou? Esta questão acompanha todo o (per)curso na/da formação dos professores. Para puxar o fio do novelo da memória, ainda embaraçado pelo tempo, trabalhei com o Curta Brevíssima História das Gentes de Santos (1996).Construimos a genealogia desta cidade paulista, apresentada ficticiamente, e os professores passam a compreender a História como campo de conhecimento, participando dela. Relatos sobre as histórias das gentes do sertão emergem e aquecem a narrativa que vai tecendo a história de cada um/a.Antes do filme, construímos a linha do tempo - um exercício de localização tempo-espacial das histórias de cada um/a. Depois, assistimos ao Curta e observamos a linha do tempo da cidade de Santos/SP, narrada de maneira envolvente por Ney Latorraca. A linguagem fílmica é adotada para o trabalho no curso, pareada com outras linguagens: escrita, televisiva, midiática... A experiência estética e o passeio histórico vivenciado com o filme proporcionam a reconstrução das histórias dos professores de Irecê/BA que saboreiam sua identidade e etnicidade - auto-consciência da especificidade cultural e social de um grupo particular.Não é a primeira vez que trabalho com Curtas do site e as experiências são singulares. Com o Brevíssimas Histórias... a trama da realidade e da ficção é tecida e as histórias das gentes da educação vai sendo contada, recuperando o tempo-espaço de narrativas locais, fundamentais para a memória da educação destes professores. Assim o filme segue cumprindo o seu ideal de entremear a história de várias gerações e de um lugar.