|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Reconhecendo a Diversidade Cultural

Filme Utilizado Negócio Fechado | Ficção | De Rodrigo Costa | 2001 | 15 min |



Data da Experiência:21/09/2007

Disciplina(s): Geografia

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental II

Faixa etária da turma*: de 10 a 14 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:132

Autor do relato:Fernando da Silva Budião Junio

Instituição:LUCIO MARTINS RODRIGUES PROF EMEF
| SP | SAO VICENTE
| Municipal
Objetivos do uso do filme
Trabalhamos dois objetivos centrais: utilizar uma outra linguagem para contribuir no enriquecimento cultural do aluno e evidenciar a existência de outras maneiras de relacionamento entre os homens. Na prévia da apresentação do curta, procuramos chamar a atenção dos alunos para a questão da diferença cultural entre os indivíduos (representados pelas personagens do filme) e de como se comportam diante de uma mesma situação. Como a Geografia trata - entre outros assuntos - do campo e a cidade como formação sócio-espacial, orientamos os alunos a atentar para o fato de que estes espaços são produzidos historicamente pelo homem no meio em que vivem através do seu trabalho, sendo, portanto, culturais.

Sequência de atividades envolvendo o filme
O filme foi apresentado em quatro sessões, totalizando 132 alunos que assistiram o curta metragem.A nossa intenção foi de destacar as diferenças na produção do espaço rural em relação ao urbano, meio no qual vivem os nossos alunos. Nessa perspectiva esse curta metragem é excelente, pois evidencia o modo de vida e de produção em um ambiente rural, com características humanas próprias àquele espaço. O modo de vida ou "jeito de ser" por diversas vezes é retratado no filme, caracterizado pelo modo das personagens conversarem, a intenção de negociar e de como preparam o objeto da negociação; o apego às coisas que produzem, o galanteio e os elogios, a total ausência de pressa e a sabedoria das coisas simples. A diferença fica exposta quando entra em cena o choque cultural do homem urbano com o rural. O homem da cidade se mostra mais objetivo, prático, apressado, com pouco conhecimento do mundo rural embora tente passar a impressão que domina o ambiente, e finalmente, desdenhando de um universo que para ele é inconcebível. Após a apresentação do filme foram feitos alguns debates sobre as atitudes tomadas pelos personagens e de como os alunos enxergam tais atitudes. Em seguida, a proposta foi captar por escrito as impressões a respeito das diferenças culturais sobre as quais chamamos a atenção desde o início da apresentação.

Comente os resultados da experiência
Foi interessante observar a reação dos alunos: em um primeiro momento houve uma espécie de indignação diante da atitude tomada pela personagem central da trama em não concretizar o negócio com o gado. Reconhecemos essas atitudes dos alunos justamente porque estão totalmente incorporados a uma sociedade capitalista, caracterizada pelo consumo, onde a negociação (a compra e a venda) vêm na frente de qualquer outra possibilidade de relação entre os seres. As reações dos discentes, com risos e perplexidade, vieram naturalmente. Após alguns comentários dos alunos procuramos estimular uma outra visão do filme e uma reflexão sobre as atitudes das personagens. Esse momento me pareceu ser muito produtivo, pois vários alunos realizaram comentários sobre o comportamento das personagens ao longo da trama. Aos poucos foi-se notando as diferenças de postura do habitante de um outro meio em relação ao homem urbano: as falas, manias e até mesmo um olhar diferenciado para com as coisas materiais. Penso que o resultado foi extremamente válido pois desestruturamos a idéia de que a sociedade é homogênea quanto a sua cultura e seus costumes, bem como, construímos um outro olhar, em uma outra perspectiva, para as relações humanas de trocas e de consumo.